Escritos - página anexa destinada a postagem de obras autorais

25 de out de 2014

Tormenta - Capítulo 17

O sol ainda está nascendo quando a nave pousa em Illies.
A porta da aeronave se abre, formando uma rampa, e Benedict se apressa para descer. Ele estende a mão para mim, e depois para Tiffany, e quando já estamos em terra, a porta se fecha automaticamente.
A pista de vôo é um espaço liso e gigantesco, e está ventando bastante.
O céu do final de madrugada está acinzentado e Evan Muller está lá, acompanhada de alguns soldados.

"Bem vinda de volta, Daphne."
    - Ela diz com um sorriso. Então seu olhar vai para Tiffany, que no momento acabou de descobrir meu nome verdadeiro...
"E bem vinda também, Tiffany."

"Obrigada." - Ela responde, não porque realmente esteja agradecida, mas por educação.

"Meu nome é Evan Muller."
    - Evan diz, estendendo a mão para ela.
"Sou representante do governo de Illies. Espero que meus homens a tenham tratado bem."

"Sim, senhora."
   - Tiffany murmura. Ela parece imensamente desconfortável, apesar da gentileza de Evan, e a sorridente e tagarela Tiffany Anshelf parece uma miragem em comparação a essa versão dela mesma.

"A Tiffany teve uma experiência cansativa..."
     - Digo, numa tentativa de tirá-la daquela situação. 'Cansativa' é apenas um eufemismo, visto que o que ela passou foi na verdade, trágico. Evan entende logo o que eu quero dizer.

"É claro, claro, perdão..."
    - Ela diz. Então, sua cabeça vira-se para o lado e ela chama um dos soldados que estão com ela.
"Rob, acomode a moça em minha sala particular. Lhe dê algo para beber, eu estarei lá em breve."

Assim que Tiffany se vai, o barulho de uma nave em decolagem me chama a atenção.
A nave pousa do outro lado da pista e Melanie Jaswant é a primeira a descer.

"Encaminhei três naves para o resgate."
    - Evan comenta.
"Imaginei que a sua fosse a primeira a chegar."

Mas eu não presto muita atenção às palavras dela.
Um reboliço se forma em volta da nave e vários soldados carregam alguma coisa... ou alguém.
Melanie grita alguma coisa numa voz de comando e uma equipe de branco corre em direção a eles; um homem ferido é posto numa maca. Evan Muller também está olhando para lá.

"Vão ver o que aconteceu."
    - Ela murmura para os soldados ao seu lado. Então seu olhar para, pela primeira vez, no meu irmão.
"E você também, Benedict."
*

Estou no escritório de Evan para mais uma de suas conversas casuais.
Normalmente o assunto é bem previsível, mas eu tenho certo interesse nisso tudo.
O futuro de Tiffany.
Talvez Evan possa me dar uma resposta mais completa quanto a isso.

"Bom, eu devo parabenizá-la mais uma vez pelo sucesso na missão."
     - Ela diz, sentando em frente a mim.
"Você tem se saído uma ótima agente, Daphne."

"Obrigada." - Respondo.

"Inclusive, a ideia de resgatar Tiffany não é tão má assim."
     - Evan afirma com um leve sorriso.

"É exatamente sobre isso que quero falar." - Solto, objetiva. - "Qual será o futuro dela aqui?"

"Então, essa não é uma decisão exclusivamente minha."
      - Ela fala.
"Tiffany, agora uma Helvet, está sob o julgo da Central e bom, eu não sou responsável por tudo aqui."

"Mas você pode exercer certa influência quanto a isso."

"Posso." - Ela confirma. - "Mas não acredito que seja necessário. Ela já está sob proteção do governo."

"Porém, essa proteção tem suas condições, não é?" - Pergunto. Evan me encara desconfiada por um tempo, antes de finalmente assumir, hesitante....

"O governo vai querer a lealdade dela."
   - É justamente isso que me preocupa. Tiffany não pareceu muito feliz em estar em Illies.
Então, Evan suspira e solta uma frase que as pessoas de Illies adoram repetir, desde que começou essa guerra toda..
"Você sabe, tudo pela Causa."